Seguros

O seguro é um meio de proteção contra perdas financeiras.

É uma forma de gestão de risco, usada principalmente para proteger contra o risco de uma perda contingente ou incerta.

A entidade que fornece seguro é conhecida como Seguradora.

A pessoa ou entidade que compra seguro é conhecida como Segurado ou tomador do seguro.

O intermediário dessa relação é o Corretor de Seguros, no caso, a Culturinvest Seguros e Previdência, empresa autorizada e fiscalizada pela SUSEP - Superintendência de Seguros Privados sob Nº 

A transação de seguro envolve o segurado assumindo uma perda garantida e conhecida - relativamente pequena - na forma de pagamento de um Prêmio de risco à seguradora em troca da promessa da seguradora de indenizar o segurado no caso de uma perda coberta.

A perda pode ou não ser financeira, mas deve ser redutível a termos financeiros e geralmente envolve algo em que o segurado tem um interesse segurável estabelecido por propriedade, posse ou relação pré-existente.

O segurado recebe um contrato, denominado Apólice de Seguro, que detalha as condições e circunstâncias sob as quais a seguradora irá indenizar o segurado.

O valor cobrado pela seguradora do segurado pela cobertura prevista na apólice é denominado prêmio. Se o segurado sofrer uma perda que é potencialmente coberta pela apólice de seguro, o segurado envia uma reclamação à seguradora para processamento por um perito de sinistros. A seguradora pode cobrir seu próprio risco contratando resseguro, por meio do qual outra seguradora concorda em assumir alguns dos riscos, especialmente se a seguradora primária considerar o risco muito grande para ser suportado por ela.

As principais categorias de seguros são:

  • Seguros de vida
  • Seguros patrimoniais 
  • Seguros de responsabilidade

Responsabilidade Civil

São os riscos decorrentes do exercício profissional inerentes a cada atividade. O seguro destina-se basicamente a cobrir os custos de defesa do segurado e às vezes de indenização a prejuízos. Cobre danos pessoais e materiais, mas não perdas financeiras. Os mais comuns são os D&O (Directors & Officers) destinados a diretores e administradores de empresas e o E&O (Erros e Omissões) destinados a profissionais especializados, tais como médicos, engenheiros e advogados, mas que exclui perda de dados eletrônicos, por exemplo.

Garantias judiciais

O Seguro Garantia Judicial é uma modalidade de seguro é alternativa ao depósito judicial e à penhora de bens nos processos na esfera judicial. Garante o pagamento de valores que o tomador (potencial devedor) possa ser obrigado em processos judiciais (cíveis e trabalhistas em geral, inclusive em procedimentos incidentais ou medidas de urgência, a exemplo de cautelares, mandados de segurança, e outras), como nova garantia  processual ou em substituição à garantia já existente (liberando o caixa da empresa).

Seguros de engenharia

O seguro de Riscos de Engenharia tem o objetivo de garantir, ao construtor, ou montador indenização dos prejuízos causados por acidentes (eventos súbitos e imprevistos, na linguagem do seguro) durante o período de execução de obras civis e instalação e montagem de máquinas e equipamentos. Os bens cobertos são a obra em si e seus materiais, o objeto de montagem/instalação e equipamento.

Riscos Cibernéticos

Riscos cibernéticos devem fazer parte da gestão de riscos de qualquer empresa, independente do porte ou setor, e ser visto como uma necessidade real para evitar prejuízos. Dependendo da intenção do criminoso, existem diferentes tipos de ataques cibernéticos, tais como Ramsonware (sequestro de dados); Phishing (roubo de dados); Scareware (outro tipo de roubo de dados). A Seguradora disponibilizará especialistas, consultores jurídicos e gestores de crise. Ou seja, com o seguro, as empresas têm à disposição uma ampla oferta de serviços que elas não possuiriam por conta própria